terça-feira, 15 de maio de 2018

Uma breve nota sobre Israel e o esquerdismo



1. Israel é um país livre e democrático, características odiadas pelo terrorismo islâmico e por todos os ideólogos da esquerda, amantes, como não poderia ser de outro modo, de regimes autoritários/totalitários. Só para ser ter uma ideia de como o ideologismo esquerdista é absolutamente rasteiro e contraditório, ao mesmo tempo que tece loas de amor ao fanatismo islâmico, é contrário a qualquer dogma religioso ocidental.

2. O Hamas é um grupo terrorista cuja intenção nunca foi, não é e nunca será a de manter a paz e uma situação harmônica no Oriente Médio e na Palestina, mesmo que o Estado Palestino seja criado. O surgimento de um Estado Palestino não é causa suficiente para que cessem as atitudes extremas do Hamas, não é nem mesmo uma causa pela qual o grupo luta.

3. O Hamas promove ataques terroristas constantes contra Israel. Quando sofre represálias, o que faz parte das próprias intenções do grupo terrorista, utiliza escudos humanos com o objetivo de criar mártires e demonizar o inimigo que está se defendendo.


4. O terrorismo tem como seu modus operandi o ataque furtivo contra civis. Desde sempre. Elementar.

5. Odiar Israel e desejar o seu fim, como é corriqueiro no pensamento de esquerda, não guarda nenhuma diferença em relação ao sentimento antissemita. E a esquerda chama a direita de nazista...

6. O governo israelense comete erros quando trata da questão Palestina.

7. A criação de um Estado Palestino é uma causa totalmente justa.

A moral da história é que aqueles cujo intelecto ainda é assaltado pelo ranço esquerdista e, assim sendo, incapazes de reconhecer as verdades enumeradas de 1 a 5, não estão autorizados a defender os itens 6 e 7. Simples.

Nenhum comentário:

Postar um comentário