quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Histrionismo e ditadura PeTralhas


O PT tem na enganação sua principal característica como partido político. O PT é um partido de histriões cuja atuação política serve bem para manipular a horda de ignorantes que conduziu a sigla ao poder. Uma vez lá, basta aos petistas promoverem sua típica propaganda populista para que o projeto de dominação gramsciano se mantenha em curso.
Nesta semana, a presidente Dilma Rousseff respondeu às críticas que FHC dirigiu ao governo Lula. Segundo o ex-presidente tucano, Lula deixou para Dilma uma herança maldita, apreciação que ela qualificou como "tentativa menor de reescrever a história". Ainda de acordo com a mandatária da nação, Lula lhe deixou, ao contrário do que pensa FHC, uma "herança bendita". De quebra, aproveitou para apontar Lula como sendo um democrata, logo ele, amigo camarada de Fidel Castro, Hugo Chavéz, Omar Bongo Ondimba, a quem admira devido à perpetuação no poder, e do já defunto Kadafi...
No fundo, o que Lula deixou para Dilma não é uma questão de herança. Para todo e qualquer cidadão que não se enquadra na categoria dos ignorantes manipulados pelo populismo gramsciano do PT, é incontestável que o Brasil está mergulhado na estatolatria, na corrupção, no aparelhamento da máquina pública, na ausência de autonomia e independência dos Três Poderes, na destruição de todas as instituições da democracia, na carência de infraestrutura e de logística, em um índice de desenvolvimento humano que pode ser considerado bem abaixo do ideal para um país que se gaba de sua "força econômica" e assolado por uma (in)cultura de massas que a velha esquerda vem explorando habilmente desde o período da ditadura militar, quando esta se fechou nos estreitos limites da tecnocracia. A presidente Dilma Rousseff pode enganar aos ignorantes, mas somente a eles. Não há absolutamente nada que indique qualquer benção na transição Lula-Dilma.
Quanto a FHC, homem de cultura apurada, deveria se despir em definitivo das rédeas politicamente corretas da socialdemocracia e denunciar o PT sem meias palavras. O partido que está no poder há quase uma década é um partido gramsciano e ditatorial que a cada dia cimenta mais e mais a ditadura no Brasil. Assim sendo, os petistas nunca se preocuparam com o desenvolvimento do país, mas apenas com o estabelecimento de seu projeto de poder. Em vista de tal constatação é vazia a ideia segundo a qual Lula teria deixado a Dilma uma herança maldita. Ele apenas deixou à sua sucessora o terreno pronto para a continuidade da ditadura gramsciana que começou a ser implantada em 2003. O governo de Dilma não é nada mais do que um interregno para Lula, o comunicador messiânico, e para o PT em geral. Se o PT fosse só um partido ruim de governo, aí poderia se pensar em herança maldita, todavia, se trata de algo muito mais grave e com implicações muito mais profundas: é o gramscianismo que permanece em curso, status que possibilita a manutenção da ditadura e que a cada dia suga as liberdades que ainda restam, assim como a dignidade dos cidadãos de bem, as instituições e os valores culturais e morais.
Em outro ato de histrionismo, Rui Falcão, presidente do PT, utilizou um comício para vociferar contra tudo aquilo que pode representar obstáculos à ditadura de seu partido. Afirmou que o Mensalão, a despeito de todas as provas de sua ocorrência, é uma farsa criada pela "mídia conservadora" e pelo Judiciário na tentativa de derrubar o PT. Inverter a lógica dos fatos e transformar situações conferindo às mesmas panorama contrário ao modo como realmente se apresentam inicialmente é um artifício sui generis das ditaduras. Os mandatários petistas têm atuado exaustivamente no intuito de amordaçar a imprensa, um dos últimos bastiões de liberdade no Brasil. Somente fariam restar a mídia controlada por eles próprios, varrendo do mapa mesmo aqueles veículos que são neutros ou domesticados pelo politicamente correto, maioria no país. A imprensa que efetivamente denuncia o projeto de dominação petista no Brasil tem se mostrado cada vez mais escassa.
Com relação ao Judiciário, o que se observa é igualmente o exato oposto do que prega o sr. Rui Falcão, ou seja, a interferência do Executivo sobre o Judiciário tem sido crescente desde a chegada do PT ao poder federal. Lula e outros políticos petistas, como seu próprio presidente, andam fazendo de tudo para atrapalhar o julgamento do Mensalão e a presença de ministros alinhados com o PT participando do mesmo é notória, o que compõe um quadro nítido de partidarismo e interesses políticos em detrimento da ética, da isenção e da justiça.
Em claro tom de ameaça, Falcão prescreveu que "não mexam com o PT, porque quando o PT é provocado, ele cresce, reage". Traduzindo: quem se opõe às práticas ditatoriais do petismo poderá se ver em maus lençóis. O PT tem ojeriza ao debate democrático. Falcão também chamou a todos que não concordam com o PT de "elite suja e reacionária que não tolera o fato de um operário ter mudado o país". Nesse caso ele nem precisou disfarçar a revolução gramsciana que o PT está implantando, tendo preferido lançar mão dos antagonismos de classe e da incitação ao ódio social, outra estratégia tipicamente autoritária. Lula não é operário há mais de trinta anos, além do que, o mentor máximo do gramscianismo é o "intelectual" José Dirceu. De resto, nada importa se quem muda uma sociedade para melhor, o que não é o caso de Lula, seja um operário ou um aristocrata.
Sujo é o PT, sr. Rui Falcão, partido ditatorial que não tolera a democracia nem a liberdade e que atua ferozmente para destruir o pouco que ainda resta de ambas com o objetivo claro de consolidar em definitivo o gramscianismo no Brasil! Salve-se quem puder!

Nenhum comentário:

Postar um comentário