segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Mais 25 músicas essenciais


Quando escrevi sobre minhas 25 músicas preferidas em maio de 2010, fiz a promessa de apresentar uma segunda listagem futura. É o que venho então a realizar passados esses 9 meses. Os critérios de seleção são exatamente os mesmos que respeitei na primeira relação, sendo que talvez eu devesse, todavia, salientar que todas essas músicas são aquelas que considero essenciais apenas dentro do gênero Rock, mas uma vez que o próprio Rock comporta inúmeras vertentes e que minha concepção de música esteja focada nesse estilo, deixo de lado tal ressalva. Vamos às músicas!

IRON MAIDEN/THE TROOPER - possui os ingredientes mais valiosos no Heavy Metal, (riff, solos, agressividade, melodia) uma música muito bem trabalhada e simples ao mesmo tempo, pois lapidar em suas características.

EUROPE/THE FINAL COUNTDOWN - um clássico do Hard, influência cabal para a sonoridade oitentista, revela a perícia extrema de John Norum e os outros membros da banda no auge da forma técnica.

DEMONS & WIZARDS/LOVE´S TRAGEDY ASUNDER - uma composição poderossísima, forte, pujante, coloca, a meu ver, o D&W como melhor banda de Heavy Metal surgida no século XXI, apesar de ser, na realidade, um projeto paralelo ao invés de uma banda.

JASON BECKER/DWELLAR IN THE CELLAR - música que descortina a técnica soberba de Becker e seu estilo peculiaríssimo de esmerilhar uma guitarra; homenagem a esse grande músico que passou a sofrer de grave e rara doença degenerativa.

HELLOWEEN/WE GOT THE RIGHT - os pioneiros do chamado "Heavy Melódico" em uma música mais cadenciada do que sugere o estilo, rica em feeling e melodia.

MOB RULES/SECRET SIGNS - composição bastante curta, mas muito marcante, com grande riff e um toque de folk germânico sem cair no exagero típico de tantos outros conjuntos que seguem essa linha; vejo esses alemães como a melhor banda de Heavy Metal surgida nos anos 1990.

MICHAEL LEE FIRKINS/FREEWAY LINES - música representante do estilo Southern Rock, traz técnica e sofisticação bem acima da média nesse estilo, comprovando a competência monstruosa de Firkins.

QUEENSRYCHE/EYES OF A STRANGER - nascido em Seattle antes da famigerada onda grunge, o Queensryche inaugurou o estilo Prog Metal, executando-o despido do pedantismo insuportável característico das bandas atuais da vertente; pena terem se desvirtuado ao longo da carreira, caindo num quase pop insosso.

RAINBOW/RAINBOW EYES - uma música com carga de emoção pouquíssimas vezes notada, some-se a isso a mágica interpretação do saudoso Dio e está pronta a receita de uma obra prima.

SAVATAGE/DEVASTATION - os mestres do Power Metal oitentista atacam aqui com mais um de seus riffs que fazem jus ao título da composição: completamente devastador!; "RIP Criss Oliva".

STEVE VAI/FOR THE LOVE OF GOD - não sou grande fã deste que é considerado um dos mestres da guitarra, mas nessa composição ele superou seu ponto fraco com grande maestria, conseguindo aliar técnica e feeling de modo perfeito.

MARTY FRIEDMAN/THUNDER MARCH - música grandiosa, melodia belíssima, lembra uma trilha sonora de filme; Friedman teria produzido melhor deixando o Megadeth para se dedicar à carreira solo.

TALISMAN/BLISSFUL GARDEN - hoje em dia o Funk é visto com péssimos olhos no Brasil, não à toa, dada a extrema aberração musical que é tocada nos bailes cariocas; o Funk setentista, porém, nada tem a ver com a tal anomalia e o Talisman foi a banda que primeiro mesclou elementos desse estilo com o Rock, por sinal, de modo muito mais original e competente do que uma certa pimenta vermelha...

TONY MACALPINE/CITY BENEATH THE SEA - composição de grande força e melodia, fazendo jorrar livremente a veia fusion e a genialidade de Macalpine.

VINNIE MOORE/LIFEFORCE - música possuidora de um riff alucinante e na qual o maior Guitar Hero de todos os tempos desfila toda sua técnica e criatividade.

YNGWIE MALMSTEEN/ICARUS DREAM SUITE - o mago sueco das 6 cordas expõe aqui um exemplo da mais perfeita aliança entre erudição e técnica guitarrística; composição magnífica.

BORISLAV MITIC/CELTIC LEGENDS - música na qual o competentíssimo guitarrista sérvio brinda o ouvinte com um memorável e soberbo épico.

BOSTON/MORE THAN A FEELING - excelente balada Hard/Prog setentista; homenagem ao já falecido Brad Delp,  grande vocalista e vegetariano, como todos os integrantes da banda.

JOEY TAFOLLA/NINE TOMORROWS - música recheada de técnica e melodia, representante do estilo neoclássico.

STRATOVARIUS/KISS OF JUDAS - ótima composição da banda finlandesa de Heavy Melódico, é uma música muito bem arranjada e livre dos excessos comuns a muitas bandas desse estilo.

PATRICK RONDAT/CLOUDY MOUNTAIN - excelente música, exemplo inconfundível da vertente neoclássica diretamente da palheta do exímio guitarrista francês.

IMPELLITTERI/WARRIOR - trata-se de um Hard/Power dotado de refrão pegajoso, forte riff e vocais assinados po Rob Rock, genial como sempre.

QUIET RIOT/CUM ON FEEL THE NOIZE - a música é uma regravação da banda Slade, mas muito mais poderosa, a meu ver, executada pelo competentíssimo quarteto formado por Kevin DuBrow, Rudy Sarzo, Carlos Cavazo e Frank Banali; homenagem ao já falecido vocalista Du Brow.

DEEP PURPLE/BURN - os mestres da lisergia setentista não poderiam ficar de fora, sobretudo considerando-se essa composição, dotada de tecnicalidade absurda e abrilhantada ainda mais pela voz avassaladora de David Coverdale em pareceria com Glenn Hughes, outro monstro dos vocais.

BLACK SABBATH/SUPERNAUT - para encerrar, mais setentismo, diretamente do ocultismo sabático; riferrama e peso, como manda o bom Metal!

2 comentários:

  1. Aaaahhh adoro. Leo, quer escrever um texto em colaboração ao meu novo blog?

    http://humanzoomusic.blogspot.com

    :)

    ResponderExcluir
  2. Sim, Lu, com grande prazer.

    Basta me dizer o assunto do texto.

    ResponderExcluir